O amor

Sentimento que enlouquece

E ao mesmo tempo nos aquece.

Faz o peito sentir dor

E nós dá muito calor.
Trás consigo a esperança

E nos faz sentir criança.

Se não for correspondido,

Embaça nossos sentidos.
E se ele for aceito!!

Ah! Que alegria em nosso peito.

Nos sentimos esplendorosas

Mais bonitas e graciosas.
Ilumina o nosso dia

Trazendo muita alegria.

Nos faz sentir poderosas

Como o perfume das rosas.

Canções

O jovem esposo animado

Tocava o seu violão.

E o fado, cantarolado
Pela esposa, com paixão.

Os filhos, todos sentados

Ouviam com adoração,

Os pais tão apaixonado,

Cantando sua canção.
Olhares eles trocavam

Pelo que tinham sonhado.

Junto com os filhos cantavam,

Ombro à ombro, lado à lado.

À noite logo chegava,

E as crianças dormiam.

Os pais as acarinhava.

Essa era a sua família.

Poesia

Com muita criatividade

Ela começa a criar.

Coisas que não são verdades,

Mas que estão a lhe inspirar.
Imagina uma linda estrela

Que está no céu a brilhar.

Faz de conta que é só dela

E que brilha pro seu olhar.
Para fazer poesias,

É preciso imaginar

O que lhe der alegrias.
Uma coisa nunca esqueça,

O que mais vai lhe inspirar

Com certeza é a tristeza.

O tombo

Chegando no consultório

Com intenção de brincar

O menino puxa a cadeira

Na hora da mãe sentar.
Ela fica constrangida

E nem consegue falar

Com o gesto inesperado

Que ele ousara executar.
Todos foram surpreendidos

Com a atitude impulsiva

Do menino atrevido.
A mãe no chão sentada,

Com os olhos a faiscar:

– Deixa ele em casa chegar!!

O patins

Vai a menina apressada

Com seu patins passear

Mas ao subir na calçada

Um vidro a faz tombar.

 
A mãe fica desesperada

Quando a vê ensanguentada

Por que ao tentar se apoiar

Ela teve a mão cortada.
A sangria era geral

A mãe pegou a filha

E a levou ao hospital.
O corte nem fora grande

Mas o medo da injeção

Causou muita agitação.

A Fratura

A família chega em casa

O pai para ao conversar

O menino vai pra praça

Na intenção de brincar.
A mãe na tranquilidade​

A casa vai arrumar

Quando o menino regressa

Com o braço já a inchar.
No meio do desespero

Todos correm pro hospital

O braço fora quebrado

E não fora proposital.
Foi a fratura mais breve

Causada por brincadeira.

O chute foi bem de leve

Mas a bola foi certeira