Flecha

Flecha é um cãozinho,

Todo cor de caramelo.

Ele é louco por carinho

E gosta muito de chinelo.

Ele é bem pequenininho,

Mas gosta de aprontar.

Ele corre bem ligeirinho

Pro nosso pé mordiscar.

Na hora da refeição,

Senta bem comportadinho,

Com uns olhos bem pidão,

Pra ganhar um pedacinho.

Se a visita toca à porta,

É o primeiro a chegar.

Tem que caminhar atenta,

Pra nele não tropeçar.

O chinelo bem depressa,

Nem precisa procurar.

Não adianta ter pressa

Ele está a segurar.

Vem num salto bem certeiro

Para com a gente brincar.

Com o dente bem afiado,

Pode até nos machucar.

 

Anúncios

A carta

Ao despertar hoje cedo

Não queria levantar

Meu corpo todo doído

Nem conseguia sentar.

Com muita dificuldade

Comecei a me arrumar.

Sentia muita saudade

Pois você não vai voltar.

De repente a campainha

Iniciou a tocar

E eu muito amoadinha

Fui ao portão espiar.

Lá havia uma cartinha

E, ao ler, me emocionei.

Nela a pessoa dizia:

– Levantai!  Não esmorecei!

Fiquei pensando naquilo

“A tristeza não faz bem”

Logo peguei meu bloquinho

E fui escrever também.

Envelopei as cartinhas

E numa alegria insana

Fui levar a alegria

A quem estava tristonha

Semear

Dormi bem pouco essa noite,

O tempo todo eu pensei.

Hoje acordei bem contente.

Porquê? Nem eu mesmo sei.

Passei o tempo pensando

Em tudo que eu semeei.

Algumas estão brotando,

E outras eu nem reguei.

Lembranças estou guardando,

Para depois recordar.

Com algumas estou chorando,

Com outras vou me alegrar.

Tudo por mim foi vivido

Com muita intensidade.

Todos os dias curtidos

Deixaram muita saudade.

Só Deus

Era domingo e a família,

Saiu pra comemorar

A transferência da filha,

Que acabara de chegar.

Seguiam tranquilamente,

Os amigos iriam encontrar.

Quando um carro loucamente,

Com o delas foi se chocar .

O susto foi muito grande.

Difícil era acreditar

Que elas viveram pra contar.

O carro,  estava perdido,

O corpo bem dolorido,

E, a vida, Deus veio salvar.

O mar

Cabo Frio era tão lindo,

Paraíso da turminha.

O mar calmo e profundo,

Nos dava muita alegria.

Caminhar pela areia

E olhar os peixes nadar.

As dunas subir de primeira,

Sem parar pra descansar.

Com o sol sempre radioso

E a leve brisa a soprar,

O dia era esplendoroso.

Tudo passava depressa.

É hora de regressar.

Breve iremos retornar.

O tempo

A vida passa depressa

E a gente sem perceber

Só quando vem a lembrança

Começamos a viver.

Os filhos todos crescidos

E a nossa vida parada.

Ficamos tão distraídos

Que nos perdemos na estrada.

A vida prossegue sempre,

O tempo não se distrai.

Se não seguirmos em frente,

Ficaremos sempre atrás.

Despertei pra minha vida,

Acho que dormi demais.

Mas depois da sacudida,

Eu não durmo nunca mais.

Peguei caneta e papel,

E tudo estou anotando.

Me sinto até mais saudável,

A vida estou desfrutando.